1º Fórum Internacional de Educação da Região de São José do Rio Preto

Ontem e hoje (26 e 27 de outubro) tive a oportunidade de participar do 1º Fórum Internacional de Educação da Região de São José do Rio Preto, organizado por iniciativa dos Dirigentes Municipais de Educação da Região de São José do Rio Preto, em parceria com a UNESCO, a Organização dos Estados Iberoamericanos - OEI e apoio do Conselho Nacional de Educação, da Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto entre outras entidades não menos importantes.

Tivemos várias Conferências e Mesas de Discussão, das quais descreverei, alguns momentos que julguei mais importantes, divididos em fatos ALTOS e BAIXOS, de maneira bem rápida:

Na Conferência (inaugural) com João Cardoso Palma Filho: Ponto alto: segundo ele... "estamos próximos de um apagão de professores"...

A Conferência sobre Gestão e Qualidade da Educação na América Latina, com a professora argentina Lilia Toranzos, excelente. Ponto alto: seus slides eram lindos, limpos, claros, objetivos e olha que a palestra não tinha nada com relação à design, mas eu não podia deixar de notar, claro.
Hoje de manhã, na PALESTRA INTERNACIONAL E DEBATE com o Prof. Guillermo Scherping Villegas, tivemos conhecimento do triste panorama da educação chilena na disposição de uma educação por "mecanização" e desvalorização absoluta dos educadores e altamente classista. Muito boa apresentação.

E, finalmente, na  MESA 03 - Os Impactos das Novas Tecnologias na Qualidade da Educação, que começou com a Professora Ana Laura Martinez (Uruguaia), conhecemos o projeto Ceibal no Uruguai, na proposta de se trabalhar com 1 computador por aluno na sala de aula. (www.ceibal.edu.uy) e terminou, com ninguém menos que José Manoel Moran, simplesmente absoluto e uma confirmação total de tudo aquilo que ensino para vocês em sala de aula.
Ponto alto: ele disse algo assim:
"...Ao inserir novas tecnologias na educação alcançamos grandes vantagens e obtemos enormes problemas"...Isso porque a escola não está preparada e o sucesso deste tipo de "inclusão" depende de mudanças drásticas na forma de se trabalhar, alteração de currículos entre outras necessidades que as escolas ainda não tem.

Lógico que eu não ia deixar passar esta oportunidade sem tirar uma "casquinha",
conversar com ele, mesmo que por um minuto e de tirar uma foto também.

A organização do evento estava ótima, fomos muito bem recebidos e orientados, parabéns!
Esqueci de comentar, mas ainda em tempo, achei injusta a forma de divisão de tempo de discurso dos convidados às conferências. Deveriam ter todos o mesmo tempo para falar. Os convidados internacionais ficaram com a maior fatia de os "nossos" quase não conseguiram se expressar" (Ponto baixo)

Foi, enfim, um aproveitamento pessoal e profissional para mim.
E, ponto baixo (baixíssimo), devo dizer, foi o comportamento da plateia (professores/educadores) que notei terem adquirido os mesmos maus hábitos de seus/nossos alunos, de conversar enquanto alguém tenta fazer sua Conferência/aula. Uma pena que isso aconteça. Foi muita falta de respeito com os Palestrantes e senti-me muito incomodada quando, em muitos momentos, mesmo sentando perto da Mesa de Discussão, ainda assim, não conseguia ouvir os conferencistas. Um grande exemplo de "deseducação" docente.

Espero ter cumprido minha missão, darei mais detalhes durante as aulas.
Até a próxima! (Com mais educação...espero!)

Comentários

  1. O projeto ceibal é lindo!!!! Basta sermos um país organizado e um pouco mais culto como o Uruguai que aqui daria certo!!

    ResponderExcluir
  2. Pois é Maryelle, fiquei impressionada com o projeto, muito bem organizado. Em um país pequeno, como o Uruguai, tem tudo para dar certo. Os desafios são muitos, mas os números mostram um cenário muito positivo. Aqui no Brasil já seria um "enorme" desafio. Obrigada pela visita. Volte sempre!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário. Sua contribuição será muito importante na reconstrução do meu conhecimento!

Postagens mais visitadas deste blog

Atualização deixa Facebook com mais de 2.000 emojis

É tempo de transformar