quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Aborte essa ideia!

No texto desta semana:

Foi muito difícil decidir sobre o que escrever hoje. Passei algumas noites em claro, debatendo com minha consciência o que seria mais pertinente, produtivo e menos polêmico. Não quero polêmica, não vivo para a polêmica, já tenho problemas demais. Mas as últimas semanas foram estupidamente surreais. Tragédias (novas) que unem os contrários e muito debate nas redes sociais, que desunem os “iguais”... Lembram do meu último texto, não é? Então, nada mudou, continuamos acreditando que a nossa opinião é a que vale, dane-se o resto. Ainda não consigo aceitar que estejamos agindo tão egocentricamente. Quando digo que desunem os iguais, quero dizer que, embora sejamos ou pensemos muito diferente uns dos outros, estamos sujeitos a sofrer experiências, como ficar muito pobres, passar fome, ser morador de rua, ser estuprados e todos os outros tipos de tragédias podem nos acometer a qualquer momento. A vida não é uma constante. Sorte sua, se teve uma vida estável até aqui, mas não quer dizer que isso não possa mudar.

[...]





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário. Sua contribuição será muito importante na reconstrução do meu conhecimento!